A unidade como ponto de partida

A unidade como ponto de partida

A esquerda precisa de união para objetivos concretos, mas isso não é uma convite ao retorno da política de conciliação de Lula Sempre que o debate político – chamado pela realidade – se volta para a discussão sobre a unidade (como necessidade) das esquerdas, torna-se relevante, e até mesmo pedagógico, revisitar experiências como as de 1954 […]

Veja mais

Em 2018, a nação fica entre a esperança e a ameaça

Em 2018, a nação fica entre a esperança e a ameaça

O próximo ano vai oscilar entre a possibilidade de construção de uma sociedade minimamente igualitária e o prenúncio da consolidação definitiva de um projeto antipopular

Veja mais

É preciso defender a ordem democrática – mais uma vez

É preciso defender a ordem democrática – mais uma vez

O período atual tem perigosas semelhanças com os que vivemos em 1950, 1955 e 1961 e 1964. A solução está nas ruas O círculo de giz caucasiano – ou seja, a aliança de ferro e fogo entre as forças políticas conservadoras, o poder econômico, a mídia ensandecida, o Ministério Público e o Poder Judiciário – […]

Veja mais

Lula não para de crescer: vale tudo para abatê-lo

Lula não para de crescer: vale tudo para abatê-lo

O fato de uma ou outra decisão judicial, uma ou outra ação policial poder mencionar, a seu favor, o arrimo, formal nalgum dispositivo legal, não as protege com o diploma da legitimidade, nem da justeza, nem as salva do peso da ilicitude, quando a isenção se aparta do julgador e a condenação do suspeito ou […]

Veja mais

O assassinato do reitor

O assassinato do reitor

A prisão arbitrária, ilegal e desnecessária de Luiz Carlos Cancellier mobilizou a corrente de ferro do autoritarismo jurídico-policial que nos assola Finalmente, a grande imprensa toma conhecimento da tragédia que encerra a perseguição, tortura e morte do professor Luiz Carlos Cancellier de Oliveira, reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), passados já dois meses, quando […]

Veja mais

Sejamos antirracistas

Sejamos antirracistas

Diogo Cintra, 24 anos, ator, abordado por três assaltantes, foge, corre, em busca de proteção junto aos seguranças de um terminal de ônibus no centro de São Paulo, onde a cena se desenvolve. Diogo é negro, e os marginais são brancos, e na correria gritam que o negro tentara assaltá-los (embora dois deles estivessem encapuzados…). […]

Veja mais

O socialismo real substituído pelo capitalismo selvagem

O socialismo real substituído pelo capitalismo selvagem

O que vemos no Brasil, reproduzindo o avanço antissocial do neoliberalismo, não seria possível se os direitos ameaçados tivessem a sustentá-los um forte movimento sindical

Veja mais

Como o Judiciário tornou-se instrumento de insegurança jurídica

Como o Judiciário tornou-se instrumento de insegurança jurídica

Qual a segurança de que ainda pode dispor o homem comum do povo se a Justiça só tem olhos para ver os interesses dos donos do poder? Até quando o corporativismo e o omisso Conselho Nacional de Justiça assistirão, impávidos embora comprometidos, a auto-degradação do Poder Judiciário, atingido em todas as suas instâncias, do piso à alta […]

Veja mais
// // // // Visitantes Únicos: