Próximos passos na Luta por Lula Livre

São Paulo, 24 de Abril de 2018

 

Circular 13_2018_Próximos passos na Luta por Lula Livre

 

I- Nossa Avaliação:

  1. O Coletivo Nacional reunido nesta segunda-feira, 23 de Abril na cidade de Curitiba, aprofundou o debate sobre os desafios da conjuntura, em especial, sobre a centralidade que a liberdade do Presidente Lula assumiu na luta política.
  2. Desafios: analisamos que precisamos reunir a militância para debater como superar os três grandes desafios da conjuntura: a)   Como tirar as massas da apatia e mobilizar o povo na defesa de Lula?;  b) Como denunciar a Globo  como a mão do golpe?; c) Como realizar protestos que afetem os interesses dos verdadeiros inimigos da classe trabalhadora: o capital financeiro e as empresas transnacionais?
  3. A luta pela liberdade de Lula tem ocorrido e deve continuar em diversas frentes:                                                 a)    Frente de mobilização de massas;                                                                                                 b)    Frente de articulação institucional;                                                                                                       c)    Frente de articulação politica com forças mais amplas                                                                           d)    Frente de articulação internacional
  4. Seguimos com as palavras de ordem:  Lula livre; Lula inocente, Marielle vive, Lula livre!

 

II- Encaminhamentos necessários e Calendário:

Para tanto, elaboramos um conjunto de iniciativas para serem desenvolvidas pelos coletivos estaduais, municipais e comitês da Frente Brasil Popular no próximo período. São elas:

 

1-      Iniciativas de Agitação e Propaganda:

  1. a) Constituir Brigadas de Agitação e Propaganda em todas as capitais, viabilizando a atuação de grupos permanentes de diálogo com a sociedade. (já estão em curso Brasília, Rio e São Paulo).
  2. b) Realizar uma Jornada de pichação com as palavras de ordem: “Lula Livre”, “Lula Inocente”, “Lula livre, Marielle Vive”.  Que alcance a todo pais e envolvendo todos movimentos.
  3. c) Fortalecer a articulação dos nossos meios de comunicação em torno da bandeira Lula Livre.
  4. d) Constituir uma Rede de rádios e Tvs pela Liberdade do Lula. Nos próximos dias será criado um estúdio em Curitiba e a partir dai, ter alguns horários comuns para todo pais, para circular em nossas rádios comunitárias e espaços de tevês. Pedro Carrano e Frei Sergio estão responsáveis.
  5. e) Sugerir ao Lula que toda semana faça um comunicado ao povo brasileiro, seja em forma de carta ou de vídeo.
  6. f)  Sugerir ao Lula que a cada 15 dias recuse a marmita de um almoço de sábado. Os movimentos populares irão neste mesmo dia, simbolicamente distribuir alimentos nas periferias urbanas, fazendo referência ao gesto de Lula.
  7. g) Devemos continuar enviando cartas ao Lula, como forma de solidariedade. (A/C PT Paraná. Endereço:  Av. Princesa isabel, 160 CEP 8-510-200 Curitiba-PR).
  8. h) Intensificar a campanha de envio de cartões postais, aos ministros do STF pedindo liberdade ao Lula.

 

2-      Iniciativas Organizativas:

  1. a) Estimular a formação de Comitês Populares Lula Livre, em todos os espaços que atuamos (Escolas, Universidades, Local de trabalho, etc,). Estes comitês teriam como objetivo desenvolver as tarefas aqui listadas no seu espaço de atuação.
  2. b)  Vincular estes Comitês Lula Livre com o processo do Congresso do Povo que está em curso.
  3. c)  Replicar a experiência da Frente Ampla pela Democracia, Soberania Nacional e Direitos do Povo, que recentemente reuniu diversos partidos e parlamentares em Brasília, no maior numero possível de estados, com atos públicos. Esta Frente deve envolver não são os partidos, mas todos os setores democráticos.
  4. d)  Promover uma reunião urgente, a nível nacional de articulação com os Partidos e a Frente Brasil Popular com os Governadores progressistas, para debater a Frente Ampla.
  5. e)  Promover uma reunião da Frente Brasil Popular dos estados do Nordeste, a ser realizada em Recife, para afinar iniciativas conjuntas.
  6. f)   Fortalecer a Central de Mídia da Frente Brasil Popular, bem como os coletivos de comunicação nos estados.
  7. g)  Fortalecer o Coletivo de Relações Internacionais, principalmente as entidades que tem articulações no exterior. A próxima reunião deste Coletivo será no dia 26 de Abril em São Paulo.

 

3-      Iniciativas de Mobilização:

  1. a)  Fortalecer o Acampamento Lula Livre em Curitiba, garantindo uma escala de revezamento dos estados. Além disso, as organizações deverão destacar militantes de outros estados para ajudar na Coordenação do Acampamento. Nos próximos dias, a FBP-PR enviará a escala para que os estados e movimentos mais próximos programem a sua participação nas caravanas, de acordo com a proposta que cada delegação fique uma semana no acampamento/vigília.
  2. b)  Fortalecer a mobilização no dia 26 de Abril no Rio de Janeiro em defesa da Petrobrás.
  3. c)   Estimular a construção do 1º. de Maio – Dia do Trabalhador/a em todo Brasil.  E construir um Ato Nacional em Curitiba, que tenha o Lula Livre como centralidade
  4. d)   Inserir a bandeira do Lula Livre em todos os eventos do próximo período como na CONAP, que se inicia no dia 24 de Maio  em Belo Horizonte..
  5. e)   Organizar Marchas estaduais, que cumpram o papel das caravanas em termos de dialogo com a sociedade. As Marchas deverão se deslocar para as capitais ou locais simbólicos. O indicativo é que saiam no dia 21 de maio e concluam o trajeto chegando às capitais entre o dia 7 de junho (dois meses da prisão) a 10 de junho, Dia Nacional de mobilização.
  6. f)   Construir no dia 10 de Junho um grande ato Nacional em todas as capitais, mas centralizando energias de mobilização para um grande comício em São Paulo com milhares de pessoas.
  7. g)  Sugerir às Centrais sindicais a construção de um Dia Nacional de Protestos, estimulando os trabalhadores a paralisarem por pelo menos 1 hora. A data deveria estar vinculada ao calendário de votação das ADCs no STF.
  8. h)  Ir criando as condições para a construção de uma Greve de Fome Nacional em Brasília com 11 pessoas, representativas dos vários segmentos da sociedade.   A proposta é ir preparando desde logo, para que desencadear no inicio de junho.
  9. i)   Promover passeatas nas periferias urbanas, assim como ocorreu recentemente no bairro Heliópolis em São Paulo.
  10. j)   Organizar viradas culturais em solidariedade à Lula, nas cidades que for possível.
  11. k)  Estimular atos permanentes com grupos pequenos, que caminham em fila com cartazes em denúncia  nos diversos símbolos do golpismo, como Globo e o Judiciário.   Essa tática vem sendo utilizada nos Estados Unidos desde os tempos de Sacco & Vanzetti.
  12. l)   Intensificar a articulação internacional para que chegue a classe trabalhadora dos outros países, para que façam mobilizações nas nossas embaixadas, e que continuem enviando personalidades a visitar Lula, em Curitiba ou enviando mensagens de apoio.

 

4-Calendário:

25 de Abril – Lançamento da Frente parlamentar em Defesa do Setor Elétrico, na ALESP

26 de Abril – Atos dos Petroleiros no Rio de Janeiro

Maio à Junho – Organização das brigadas de agitação e propaganda nas capitais.

1º. de Maio – Dia do Trabalhador/a – Mobilização Nacional  em Curitiba e realização de atos em todas as cidades que for possível, incluindo a temática LULA LIVRE.

3 a 6 de Maio – Feira Nacional da Reforma Agrária no Parque Água Branca em São Paulo

21 de Maio – Data indicativa para iniciar as Marchas estaduais rumo as capitais.

24 a 26 de Maio – CONAP

1 de Junho – indicativo do inicio da greve de fome nacional, em Brasília.

10 de Junho – Dia Nacional de Mobilização Lula Livre,  com concentração principal em São Paulo, mas com atos em todas as capitais que for possível.

 

Lula Livre!

Nenhum Direto a Menos

 

Secretaria Frente Brasil Popular

// // // // Visitantes Únicos: